Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Documentário “Tormenta” abre a programação de 2016 do CineBancários

Filme que conta a história da artista plástica Vera Tormenta estreia dia 3 de fevereiro

O CineBancários volta do seu recesso trazendo as melhores opções do cinema para a programação de 2016. O primeiro filme a entrar em cartaz na nossa sala de cinema este ano é o documentário gaúcho “Tormenta”, de Lucas Constanzi, no dia 3 de fevereiro. O longa será exibido, além da sua data de estreia, nos dias 4, 5 e 10 de fevereiro nas três sessões diárias (15h, 17h e 19h).
O média-metragem é o primeiro documentário produzido pela Sabujo Filmes, produtora audiovisual independente gaúcha, e teve sua estreia na abertura da mostra não-competitiva do 43º Festival de Cinema de Gramado. O filme também foi exibido no Festival Internacional de Cabo Verde e já estreou em dois canais de conteúdo internacional: Arte 1 e Prime Box Brazil.

“TORMENTA”:
A artista plástica carioca Vera Tormenta tem uma trajetória de vida curiosa. Logo após a Segunda Guerra Mundial, Tormenta viajou ao velho mundo para estudar pintura na capital francesa. Lucas refaz os caminhos percorridos, trazendo imagens que convidam o espectador a imergir na narrativa de Vera, cheia de carisma e saudades diante das aventuras de sua vida. Em 1950, Vera retorna ao Brasil para protagonizar histórias da elite cultural carioca, ao lado de nomes como Cândido Portinari, Jorge Amado, Oscar Niemeyer, Vinícius de Morais, entre muitos outros. Atualmente, aos 85 anos, ela e sua família moram numa pequena casa de madeira no interior do Rio Grande do Sul, onde administram juntos o Parque das Cachoeiras, um agradável reduto para os amantes da natureza.
O filme traz à tona essa história pouco conhecida, contando com o amparo de artistas importantes como Ferreira Gullar, Darel Valença Lins, Rossini Perez e Anna Letycia Quadros, que também relembram a atmosfera da boemia carioca e o surgimento de movimentos artísticos no cenário nacional que eles, ao lado de Vera, vivenciaram.

SABUJO FILMES:
Nova no mercado cinematográfico, a Sabujo Filmes é uma produtora audiovisual independente, voltada para produção de documentários, conteúdo cultural e reportagens. Com sede em Porto Alegre, a empresa já produziu série de reportagens para TV, documentários e reportagens especiais. A Sabujo Filmes é dirigida por Lucas Costanzi, jornalista formado pela PUCRS, especialista em documentário pela ESEC (École Supérieure d'Etudes Cinématographiques de Paris) e é pós- graduando em Gestão Cultural. Lucas morou por quase três anos na Capital francesa, onde produziu o curta-metragem Ruche Ouvrière, bem como o quadro Conexão 360° para o Canal TV COM de Porto alegre. Recentemente finalizou o documentário Tormenta (52"), 2015.



GRADE DE HORÁRIOS:
3 de fevereiro (quarta-feira):
15h – Tormenta, de Lucas Constanzi
17h – Tormenta, de Lucas Constanzi
19h – Tormenta, de Lucas Constanzi

4 de fevereiro (quinta-feira):
15h – Tormenta, de Lucas Constanzi
17h – Tormenta, de Lucas Constanzi
19h – Tormenta, de Lucas Constanzi

5 de fevereiro (sexta-feira):
15h – Tormenta, de Lucas Constanzi
17h – Tormenta, de Lucas Constanzi
19h – Tormenta, de Lucas Constanzi

10 de fevereiro (quarta-feira):
15h – Tormenta, de Lucas Constanzi
17h – Tormenta, de Lucas Constanzi
19h – Tormenta, de Lucas Constanzi

Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$8,00. Estudantes, idosos, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados pagam R$4,00. 

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

"A Criada" encerra programação de 2015 do CineBancários


Para encerrar o ano, o CineBancários estreia com exclusividade o filme “A Criada”, do diretor chileno Sebastián Silva, no dia 17 de dezembro. O longa-metragem, que será exibido nas sessões das 15h, 17h e 19h, ganhou mais de 30 prêmios internacionais, entre eles o de melhor filme escolhido pelo público e júri do Festival de Sundance, e foi indicado ao prêmio de melhor filme estrangeiro no Globo de Ouro, Independent Spirit Awards e Nacional Board of Review.  

SINOPSE:
Raquel trabalha há 23 anos com criada na casa dos Valdês, uma abastada família da capital do Chile. Um dia, sua patroa Pilar decide contratar outra moça para ajudar Raquel. Porém, ao sentir seu lugar ameaçado, arma planos cruéis para afugentar as novatas. Quando Lucy assume o posto, seu jeito brincalhão e sensível consegue penetrar na couraça de Raquel, transformando seu modo de ver a vida.



FICHA TÉCNICA:
A Criada (La Nana)
Chile - 2009 - 97min
Diretor: Sebastián Silva
Roteiro: Sebastián Silva e Pedro Peirano
Produção: Gregorio González
Coprodutor: Edgan San Juan
Diretor de Fotografia: Sergio Armstrong
Uma produção de Forastero, Tiburón Filmes e Punto Guion Punto Producciones
Distribuidor Brasileiro: Esfera Cultural
Elenco:  Catalina Saavedra, Claudia Celedon, Mariana Loyola, Alejandro Goic, Andrea García-Huidobro, Agustín Silva e Luis Dubó 

GRADE DE HORÁRIOS:
26 de dezembro (sábado)
15h – A Criada, de Sebastián Silva
17h - A Criada, de Sebastián Silva
19h - A Criada, de Sebastián Silva

27 de dezembro (domingo)
15h – A Criada, de Sebastián Silva
17h - A Criada, de Sebastián Silva
19h - A Criada, de Sebastián Silva

29 de dezembro (terça-feira)
15h – A Criada, de Sebastián Silva
17h - A Criada, de Sebastián Silva
19h - A Criada, de Sebastián Silva

30 de dezembro (quarta-feira)
15h – A Criada, de Sebastián Silva
17h - A Criada, de Sebastián Silva
19h - A Criada, de Sebastián Silva


Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$8,00. Estudantes, deficientes, idosos, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados pagam R$4,00. 

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

última semana de "Osvaldão" no CineBancários


Documentário produzido de forma independente conta a história do comandante negro da Guerrilha do Araguaia.

 Segue em cartaz no CineBancários o documentário “Osvaldão”, de Vandré Fernandes, Ana Petta, Fabio Bardella e André Michiles.Os diretores foram recebidos por familiares na cidade natal de Passa Quatro (MG) e por amigos na capital fluminense, onde Osvaldão estudou. Depoimentos de militantes, mateiros e militares contam sobre o seu ingresso e a sua liderança na guerrilha. O filme traz ainda raras e exclusivas imagens do guerrilheiro em Praga, antiga Tchecoslováquia, durante uma excursão de estudantes.

SOBRE OSVALDÃO:
Negro, porte de atleta e campeão de boxe, Osvaldo Orlando da Costa foi um dos principais comandantes da Guerrilha do Araguaia, movimento de resistência à ditadura militar entre fins da década de 1960 e meados de 1970. Foi temido pelos militares e o seu nome virou lenda na região. Moradores contam mitos, dizem que Osvaldão desviava de bala e se transformava em pedra e cupinzeiro.

SOBRE O DOCUMENTÁRIO:
“Osvaldão” é uma produção independente que levou dois anos para ser realizada. Após os processos de pesquisa, filmagem, montagem e finalização, com gravações no Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Minas Gerais, o filme foi lançado na Mostra de Cinema de São Paulo de 2014.
O músico Criolo faz participação especial e empresta ao Osvaldão. Outros artistas também participam emprestando a sua voz ao documentário, como Leci Brandão, Antônio Pitanga, Flávio Renegado e Fernando Szegeri. A realização é da Fundação Mauricio Grabois, Clementina Filmes e Estrangeira Filmes.

COLETIVO GAMELEIRA:

O Coletivo cinematográfico Gameleira, responsável pela produção do documentário “Osvaldão”, é formado por diretores e produtores apaixonados pelo Brasil e interessados em um cinema colaborativo construído com arte, política e memória. Integram o grupo Ana Petta (“Repare Bem”), Andre Michiles (“Através”), Fabio Bardella (“Através”) e Vandré Fernandes (“Camponeses do Araguaia”).

FICHA TÉCNICA:
Direção: Vandré Fernandes, Ana Petta, Fabio Bardella e André Michiles
Roteiro: Vandré Fernandes
Fotografia e Montagem: André Michiles e Fabio Bardella
Trilha Original: Daniel Altman
Vocais Especiais: Criolo, Antonio Pitanga, Leci Brandão, Renegado e Fernando Szegeri
Produção Executiva: Renata Petta, Ana Petta, Adalberto Monteiro e Leocir Costa Rosa
Realização: Fundação Maurício Grabois
Produção: Clementina Filmes
Coprodutora: Estrangeira Filmes
Facebook: https://www.facebook.com/ondeestaosvaldao?fref=ts
Twitter: https://twitter.com/osvaldaofilme



GRADE DE HORÁRIOS:
9 de dezembro (quarta-feira)
15h - Sessão Fechada
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

10 de dezembro (quinta-feira)
15h - Sessão Fechada
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

11 de dezembro (sexta-feira)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

12 de dezembro (sábado)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

13 de dezembro (domingo)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

15 de dezembro (terça-feira)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

16 de dezembro (quarta-feira)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Sessão especial: "Desenredo"


     O curta-metragem “Desenredo”, de Felipe Diniz, será exibido em uma sessão especial dentro da programação do CineBancários, dia 8 de dezembro, terça-feira, às 19h e 19h40. A entrada é gratuita.



SOBRE  FILME:
     Há um ano atrás uma equipe de cinema frequentou os ensaios para o carnaval de 2015 que aconteciam na quadra da escola de samba Bambas da Orgia com o objetivo de buscar personagens para um filme. A ideia era observar as pessoas que por lá passavam e suas relações com o samba e com uma das mais tradicionais escolas de samba da cidade.  
     Foi então que em dezembro de 2014, nas vésperas do natal, em 04 diárias o filme foi gravado. Biscuit, Luciana, Willian, Shaienne e Dona Neusa emprestaram suas vidas para o cinema. Algumas atividades particulares de cada um foram registradas pela câmera. Luciana,  recepcionista de um dos mais imponentes prédios públicos da capital, Shaienne, enfermeira do centro de oncologia do Hospital Conceição, Willian, um ofice-boy que perambula pelo centro, Biscuit, umbandista e Dona Neusa, dona de casa aposentada. 
     O que eles tem em comum: o amor pelo samba, a adoração pela Escola, um tempo destinado a cumprir toda semana o ritual de vestir a fantasia e ensaiar para o carnaval. A noite, toda quinta-feira, eles se encontram na quadra, e uma espécie de catarse acontece.
     O filme evidencia estes movimentos e estes encontros, onde o samba e a cidade se tocam, onde a banalidade do cotidiano se transforma em magia e sonho. Desenredo: histórias que se ligam pelo samba.
     O longa-metragem tem direção de Felipe Diniz, produção de Nonô Joris e Karine Emerich, direção de fotografia de Pablo Escajedo, montagem de Bruno Carboni e desenho de som de Gabriela Bervian. Uma co-produção de Nono Joris ArteProdutora, PH7 Filmes e Modus Produtora. Parceria TVE e I.E Cine e financiamento do Governo do Estado do Rio Grande do Sul através da Secretaria de Estado da Cultura – Pro Cultura- FAC.


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

“Osvaldão” segue em cartaz no CineBancários


Documentário produzido de forma independente conta a história do comandante negro da Guerrilha do Araguaia.

 Segue em cartaz no CineBancários o documentário “Osvaldão”, de Vandré Fernandes, Ana Petta, Fabio Bardella e André Michiles.Os diretores foram recebidos por familiares na cidade natal de Passa Quatro (MG) e por amigos na capital fluminense, onde Osvaldão estudou. Depoimentos de militantes, mateiros e militares contam sobre o seu ingresso e a sua liderança na guerrilha. O filme traz ainda raras e exclusivas imagens do guerrilheiro em Praga, antiga Tchecoslováquia, durante uma excursão de estudantes.

SOBRE OSVALDÃO:
Negro, porte de atleta e campeão de boxe, Osvaldo Orlando da Costa foi um dos principais comandantes da Guerrilha do Araguaia, movimento de resistência à ditadura militar entre fins da década de 1960 e meados de 1970. Foi temido pelos militares e o seu nome virou lenda na região. Moradores contam mitos, dizem que Osvaldão desviava de bala e se transformava em pedra e cupinzeiro.


SOBRE O DOCUMENTÁRIO:
“Osvaldão” é uma produção independente que levou dois anos para ser realizada. Após os processos de pesquisa, filmagem, montagem e finalização, com gravações no Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Minas Gerais, o filme foi lançado na Mostra de Cinema de São Paulo de 2014.
O músico Criolo faz participação especial e empresta ao Osvaldão. Outros artistas também participam emprestando a sua voz ao documentário, como Leci Brandão, Antônio Pitanga, Flávio Renegado e Fernando Szegeri. A realização é da Fundação Mauricio Grabois, Clementina Filmes e Estrangeira Filmes.

COLETIVO GAMELEIRA:

O Coletivo cinematográfico Gameleira, responsável pela produção do documentário “Osvaldão”, é formado por diretores e produtores apaixonados pelo Brasil e interessados em um cinema colaborativo construído com arte, política e memória. Integram o grupo Ana Petta (“Repare Bem”), Andre Michiles (“Através”), Fabio Bardella (“Através”) e Vandré Fernandes (“Camponeses do Araguaia”).

FICHA TÉCNICA:
Direção: Vandré Fernandes, Ana Petta, Fabio Bardella e André Michiles
Roteiro: Vandré Fernandes
Fotografia e Montagem: André Michiles e Fabio Bardella
Trilha Original: Daniel Altman
Vocais Especiais: Criolo, Antonio Pitanga, Leci Brandão, Renegado e Fernando Szegeri
Produção Executiva: Renata Petta, Ana Petta, Adalberto Monteiro e Leocir Costa Rosa
Realização: Fundação Maurício Grabois
Produção: Clementina Filmes
Coprodutora: Estrangeira Filmes
Facebook: https://www.facebook.com/ondeestaosvaldao?fref=ts
Twitter: https://twitter.com/osvaldaofilme



GRADE DE HORÁRIOS:
9 de dezembro (quarta-feira)
15h - Sessão Fechada
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

10 de dezembro (quinta-feira)
15h - Sessão Fechada
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

11 de dezembro (sexta-feira)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

12 de dezembro (sábado)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

13 de dezembro (domingo)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

15 de dezembro (terça-feira)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO

16 de dezembro (quarta-feira)
15h - OSVALDÃO
17h - OSVALDÃO
19h - OSVALDÃO


quinta-feira, 19 de novembro de 2015

5ª edição do Close - Festival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual


ATENÇÃO: DURANTE OS DIAS DO FESTIVAL NÃO HAVERÁ SESSÕES DA PROGRAMAÇÃO NORMAL DO CINEBANCÁRIOS 

     Realizada em parceria pela Avante Filmes, Besouro Filmes e SOMOS - Comunicação, Saúde e Sexualidade, a quinta edição do CLOSE - Festival de Cinema da Diversidade Sexual, acontecerá entre
os dias 24 e 29 de novembro na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A programação do CLOSE deste ano consiste em duas mostras principais: a Mostra Competitiva de curtas e a Mostra Panoramaalém das sessões especiais "cinema gaúcho"com os longas Beira-Mar, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon e Castanha de Davi Pretto.

     O foco do CLOSE 2015 é voltado aos filmes nacionais que abordam o cinema LGBTQ. Ano após ano o festival foi agregando novos olhares sobre o tema e expandindo seu público (reflexo também da produção cinematográfica brasileira que está cada vez mais diversa e numerosa). Novamente oferecendo diversos debates e tendo todas as exibições com entrada franca, as sessões de curtas, médias e longas, ocorrerão no CineBancários e na Aldeia. 

     Entre os destaques da programação da Mostra Panorama, estão filmes inéditos no RS como: Nova Dubai, média-metragem de Gustavo Vinagre, exibido em festivais como International Film Festival Rotterdam, Torino Film Festival,  Art of the Real – NY e QueerLisboa, que propõe uma forte crítica ao setor imobiliário em uma narrativa extremamente erótica; e E Agora? Lembra-me, documentário de Joaquim Pinto, exibido no Festival de Locarno (em que foi agraciado com três prêmios, incluindo o Prêmio Especial do Júri), em que o diretor, que convive há 20 anos com o HIV, realiza um diário clínico de seu tratamento médico, em meio à crise financeira na Europa. 

     Já A Seita, também inédito no estado, primeiro longa-metragem do pernambucano André Antônio, trata-se de uma ficção científica futurista sobre um jovem que retorna da Lua para o Recife. O filme teve sua estreia esse ano no Festival Internacional de Cinema do Rio. Chama atenção na programação ainda Nós Duas Descendo a Escada, segundo longa-metragem do diretor gaúcho Fabiano de Souza, que narra vários meses no relacionamento de duas garotas.

     A Mostra Competitiva de Curtas Nacionais terá um total de 11 títulos de 7 estados diferentes, as duas sessões da mostra contam com títulos de curta duração que abordam aspectos variados da vivência, estética e temática LGBTQ. 

     Todas as sessões do festival terão debate após o filme, alguma delas com a presença dos realizadores. Confira a programação completa:

Programação CLOSE 2015

TERÇA-FEIRA, 24/11
20:00 - Panorama: NOVA DUBAI
de Gustavo Vinagre / 55min / 2014 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 18 anos
Com presença do realizador

QUARTA-FEIRA, 25/11
18:00 – Cinema Social: NEGA LÚ
de Ana Mendes e Natália Chaves Bandeira / 2015 / Brasil
Local: CineBancários
Com presença das realizadoras

20:00 - Panorama: YORIMATÃ
de Rafael Saar / 116min / 2014 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: Livre

QUINTA-FEIRA, 26/11
15:30 – Especial Cinema Gaúcho: BEIRA-MAR
de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon / 84min / 2015 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 14 anos
Com presença dos realizadores

18:00 – Sessão Competitiva de Curtas-Metragens I:
Javaporco - de Leando das Neves e Will Domingos; 13min; RJ; 2015 
A Hora Azul - de Giovani Barros, 18min, RJ; 2014
De que lado me olhas - de Ana Carolina de Azevedo e Elena Sassi; 15min; RS; 2014
Se o mundo acabar, me dê um toque - de Renato Sircilli; 17min; SP; 2014
Quinze - de Maurílio Martins; 25min; MG; 2014 
Virgindade - de Chico Lacerda; 16min; PE; 2015
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos
Com presença dos realizadores
Apresentando os curtas:


20:00 - Panorama: NÓS DUAS DESCENDO A ESCADA
de Fabiano de Souza / 107min / 2015 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos
Com presença do realizador

SEXTA-FEIRA, 27/11
15:30 – Especial Cinema Gaúcho: CASTANHA
de Davi Pretto / 95min / 2014 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos

18:00 – Sessão Competitiva de Curtas-Metragens II:
Como era gostoso meu cafuçu - de Rodrigo Almeida; 14min; PE; 2015
Viver de mim - de Juily Manghirmalani; 26min; SP; 2015
Plutão - de Daniel Nolasco; 12 min; RJ; 2015
Monstro - de Breno Baptista; 20min; CE; 2015 
Vermelho - de Márcia Bellotti; 4min; RJ; 2014 
A vida do fósforo não é bolinho, gatinho - de Sérgio Silva; 29min; SP; 2014
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos
Com presença dos realizadores

20:00 - Panorama: A SEITA
de André Antônio / 70min / 2015 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos

SÁBADO, 28/11
15:00 - Panorama: O ANIMAL SONHADO
de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima e Victor Costa Lopes / 79min / 2015 / Brasil
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 18 anos

17:30 – Premiação
Local: CineBancários

19:00 - Panorama: E AGORA? LEMBRA-ME
de Joaquim Pinto / 164min / 2013 / Portugal
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 18 anos

DOMINGO, 29/11
16:00 – REPRISE: Sessão Competitiva de Curtas-Metragens I
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos

17:30 – REPRISE: Sessão Competitiva de Curtas-Metragens II
Local: CineBancários
Classificação Indicativa: 16 anos

20:00 - Sessão Especial | Ressaca Close: SESSÃO SURPRESA
Local: Aldeia
Classificação Indicativa: 14 anos

LOCAIS DE EXIBIÇÃO:
CineBancários: Rua General Câmara, 424
Aldeia: Rua Santana, 252
- Entrada franca para todas as sessões
- Ingressos começarão a ser distribuídos 30 minutos antes das exibições

O CLOSE tem como principal objetivo estimular a troca entre olhares e reflexões acerca das temáticas de Gênero e Sexualidade através do Cinema. Em seu aspecto e compromisso social, proporciona debates sempre abertos ao público e todas suas sessões gratuitas. Mais informações e sinopse completa de todos os filmes participantes podem ser encontradas no endereço: www.somos.org.br/close


terça-feira, 3 de novembro de 2015

"Cativas - Presas pelo Coração" e "Beira-Mar" no CineBancários


   O CineBancários estreia duas grandes novidades do cinema brasileiro, que estão percorrendo o mundo em diversos festivais, no dia 5 de novembro.
   Os filmes que serão exibidos na nossa sala de cinema são o documentário “Cativas - Presas pelo Coração”, de Joana Nin, que recebeu menção honrosa no Festival de Cinema do Rio 2013 além de pariticpar da seleção oficial do Festival de Estocolmo de 2014, e “Beira-Mar”, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, que foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Berlim deste ano, no Festival de Cine en Guadalajara, Inside Out - Toronto LGBT IFF e muitos outros.
   Os longa-metragens dividem os horários da programação: “Cativas - Presas pelo Coração” será exibido nas sessões das 15h e 19h enquanto “Beira-Mar” fica com a sessão das 17h. Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$8,00. Estudantes, deficientes físicos, idosos, bancários e jornalistas sindicalizados pagam R$4,00.

​CATIVAS - PRESAS PELO CORAÇÃO

   Os limites impostos pelas grades de uma prisão não representam barreira capaz de deter as “Cativas – Presas pelo Coração”. O amor delas supera todos os obstáculos, o que importa são as três horas por semana ao lado do marido preso e as cartas de amor cheias de mimos e desenhos coloridos que alimentam a paixão até a próxima visita. O filme retrata a vida de sete mulheres com histórias bem diferentes, mas que trazem em comum a perseverança, a dedicação e muita esperança de um dia constituir uma família do lado de fora do presídio.
    O documentário longa-metragem de Joana Nin traz a persistência de uma pesquisa que durou 12 anos e teve em uma primeira etapa um curta-metragem de sucesso, Visita Íntima, que venceu o É Tudo Verdade 2006, ganhou outros 20 prêmios e rodou o mundo por mais de 40 festivais em 12 países. “Cativas – Presas pelo Coração” esteve na seleção oficial do Festival de Estocolmo 2014 e na seleção especial da Première Brasil Berlim 2014, além de ter recebido menção honrosa do júri oficial do Festival do Rio 2013. O filme participou ainda de mercados internacionais de destaque, como o Ventana Sur, na Argentina, DocMontevideo, no Uruguai e IDFA, na Holanda, maior e mais importante festival de documentários do mundo.
   As “Cativas – Presas pelo Coração” são pessoas sensíveis, íntegras e dedicadas aos relacionamentos. Andrea escolhe seu vestido de noiva. Kamila luta por cinco meses até conseguir os documentos e ser autorizada a visitar o namorado na cadeia. Simone sofre com o companheiro viciado em crack, mas não desiste. Eliane trabalhava no conselho tutelar quando se apaixonou por um menino de 14 anos de idade, 22 anos mais novo que ela. Largou marido e filhos para fugir com ele. Malu reencontrou o pai de sua filha dez anos depois e finalmente casou-se com o amor de sua vida, mas agora não pode viver ao lado do marido. Camila não pôde vivenciar sua gravidez ao lado do pai do bebê. Cida sofreu uma séria desilusão com o homem por quem era apaixonada. São diferentes fases de romances, mas todos tem em comum um tom de ‘faca nos dentes’ do cárcere, um frisson com misto de ansiedade, excitação e tensão amorosa.
     O filme não só tem predominância feminina em suas imagens, mas também em toda sua produção. Boa parte de sua equipe é composta por mulheres – entre elas a diretora, roteirista e produtora Joana Nin e Jordana Berg, montadora dos filmes de Eduardo Coutinho desde “O Santo Forte” (1999) até o derradeiro “Últimas Conversas” (2014), terminado após a sua morte, e também de “Visita Íntima” e “Cativas – Presas pelo Coração”.
      As cartas carinhosamente decoradas formam o fio condutor do longa. Notavelmente, as dos homens são mais caprichadas em matéria de desenhos e cores, há uma cena gravada em uma cela do presídio mostrando como são feitas. Uma ideia de romantismo popular emana dessa correspondência, assim como das músicas que as preferências das próprias personagens sugeriram para a trilha sonora – um mix com composições do curitibano Cesar Mattos e a balada romântica mais consagrada de Márcio Greyck, “Impossível Acreditar que Perdi Você”, em sua gravação original.
      “Cativas – Presas Pelo Coração” lança um olhar afetuoso para onde menos se espera. Joana Nin acredita que como a população carcerária brasileira é composta por 95% de reincidentes, talvez seja esta uma forma de repensar o sistema. Porque uma pessoa que cometeu um crime e fica isolada do mundo sem qualquer afeto por até 30 anos, não terá muitas alternativas quando sair da cadeia. Se não tiver uma família, não terá para onde ir e nem por quem sonhar com outra vida. Sem trabalho, certamente voltará a praticar crimes, aqueles que já sabia antes da condenação e os que aprendeu nos anos de condenação.
      A penitenciária onde se passa o filme fica no maior complexo prisional do Paraná que abriga cerca de 7 mil presos em seis unidades. A PCE – Penitenciária Central do Estado, onde foram feitas todas as cenas, é a mais antiga delas conta com 1600 presos. O acesso da diretora ao interior da cadeia, aos presos e visitas foi bastante privilegiado. Até mesmo uma visita íntima no motel da penitenciária foi documentada pela equipe. A revista feminina, em vias de ser extinta por seu caráter vexatório, também está registrada da forma como ainda hoje é feita na maior parte dos presídios brasileiros. A cena da visita aos presos foi realizada em uma dia exclusivo, apenas com os casais que concordaram em participar. As mulheres entraram com microfones sobre as roupas para gravar o som das conversas íntimas – tudo com o consentimento de todos os personagens.
      O filme é uma produção da Sambaqui Cultural em coprodução com o Canal GNT e foi viabilizado pela Lei do Audiovisual com patrocínio da Sanepar por meio do Conta Cultura, um programa de seleção de projetos promovido pela Secretaria de Cultura do Paraná. A distribuição é da Moro Filmes.

BEIRA-MAR

      “Beira-Mar”, o primeiro longa-metragem dos diretores Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, aborda temas presentes no universo da juventude, como a amizade e a sexualidade.
​      Protagonizado pelos atores Mateus Almada e Maurício José Barcellos, o longa já foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Berlim deste ano e Festival de Cine en Guadalajara, Frameline, Uppsala ISFF, Festival de Cinema Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira, Inside Out - Toronto LGBT IFF, Mostra de Tiradentes, Short Shorts, Mecal, dentre outros, e agora terá sua primeira exibição no Brasil na Première Brasil – Novos Rumos do Festival do Rio que ocorrerá em outubro.
     Sinpose: Durante o inverno dois jovens viajam ao litoral gaúcho. Martin precisa visitar parentes distantes, em busca de um documento para seu pai. Tomaz aceita acompanhá-lo nessa jornada, aproveitando a oportunidade para se reaproximar do amigo.
      Os dois passam os dias imersos em um universo próprio, expostos à família que rejeita Martin e à estranha distância que surgiu entre ele e Tomaz. Alternando entre distrações corriqueiras, reflexões sobre suas vidas e sua amizade, os garotos se abrigam em uma casa de vidro, à beira de um mar frio e revolto.
     Sobre os diretores: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon são gaúchos e sempre trabalharam em parceria. Os curtas metragens realizados pela dupla já viajaram por festivais pelo mundo, como Festival de Cine en Guadalajara, Frameline, Uppsala ISFF, Festival de Cinema Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira, Inside Out - Toronto LGBT IFF, Mostra de Tiradentes, Short Shorts, Mecal, dentre outros. Entre eles estão “Quarto Vazio” (2013), “Um Dialogo de Ballet” (2012), “Nico” (2011), “Garoto Neon” e “O Último dia Antes de Zanzibar”.

FICHA TÉCNICA:
CATIVAS – PRESAS PELA CORAÇÃO
Gênero: documentário
Duração: 77 minutos (longa-metragem)
Produção: Joana Nin e Ade Muri
Direção e Produção Executiva: Joana Nin
Direção de Fotografia: Luciano Coelho
Roteiro: Joana Nin e Sandra Nodari
Pesquisa e assistência de direção: Sandra Nodari
Som Direto: Robertinho Oliveira
Montagem: Jordana Berg, edt.
Produtor de Finalização: Ade Muri
Direção de Produção: Sônia Procópio
Preparação de filmagens com presos: Sheylli Caleffi
Fotografia Still: Lauro Borges
Assistente de Produção e pesquisa: Raquel Zanotelli
Assistente de Câmera: Eduardo Azevedo
Desenho de som e mixagem: Alessandro Laroca, Eduardo Virmond Lima e Armando Torres Jr.
Design gráfico: Marcellus Schnell
Videografismo créditos: Liana Lessa
Trilha Original: Cesinha Mattos




BEIRA-MAR
Gênero: drama
País: Brasil
Ano: 2015
Duração: 83 minutos
Roteiro e Direção: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon
Elenco principal: Mateus Almada, Maurício José Barcelos
Elenco secundário: Elisa Brites, Francisco Gick, Fernando Hart, Danuta Zagueto, Maitê Felistofa e Irene Brietzki
Produção: Marcio Reolon
Direção de Arte: Manuela Falcão
Direção de Fotografia: João Gabriel de Queiroz
Montagem: Bruno Carboni e Germano de Oliveira
Trilha Sonora Original: Felipe Puperi
Trilha Sonora: Daniel Johnston, Kurt Vile, No Porn.
Fotos: Miguel Soll e João Gabriel de Queiroz
Distribuição Brasil: Vitrine Filmes
World Sales: Figa/BR
Financiamento: Secretaria da Cultura de Porto Alegre (edital Fumproarte) e Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul (Fundo de Apoio à Cultura)
Empresa Produtora: Avante Filmes





GRADE DE HORÁRIOS:

19 de novembro (quinta) 
15h - Cativas - Presas Pelo Coração
17h – Beira-Mar
19h – Beira-Mar

20 de novembro (sexta) 
15h - Cativas - Presas Pelo Coração
17h – Beira-Mar
19h – Beira-Mar

21 de novembro (sábado) 
15h - Cativas - Presas Pelo Coração
17h – Beira-Mar
19h – Beira-Mar

22 de novembro (domingo) 
15h - Cativas - Presas Pelo Coração
17h – Beira-Mar
19h – Beira-Mar